O meu Blog

O Blog "Verba Volant, Scripta Manent" foi criado no âmbito de um exercício académico (Humanística Digital). Desde então, e por forma a dar alguma continuidade à experiência iniciada na blogosfera, mantém o objectivo de partilhar alguns textos pessoais (sob o habitual pseudónimo Troyka Manuel), bem como outros materiais literários de interesse pessoal.

Todos os comentários, sugestões ou críticas serão sempre bem-vindos!

Porque as palavras faladas voam... e a palavra poética, tantas vezes, fala por si... e permanece... sempre!

sábado, 31 de agosto de 2013

Trago todas as pedras dentro de mim


Trago todas as pedras dentro de mim.
O Claustro. O Caminho.
A Rota. A Rosa-dos-Ventos.

Trago em mim castelos alados
em brancas nuvens de sentir.
Todos os lados,
todas as facetas.
O brilho e a ferrugem,
a vida e a morte.




Tenho em mim grandezas
que desconheço.
Árduas ânsias de nada,
urgências adiadas de tudo,
sentidos que se me perderam.

Sério indagador
de águas paradas,
moinhos escangalhados,
ventos presos
e tempestades adiadas.
Poeta líquido em fervilhar
de sangue quente.

Reclama-se a vontade de voltar
- ainda tímida, dormente ainda.
Belisca-me. Incomoda-me.
Sede de levantar a rede,
sacudir o velho pó,
para finalmente
compreender,
esta cave-de-mim.

(Troyka Manuel)





quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Trapézio-Tempo


Morre o ensaio de vida percorrido por um tempo veloz,
foge o vento de ser perseguido.
Está frio junto à praia,
como um glaciar que se impõe,
que obriga ao contorno ou à fuga.

Morrem lentamente as mãos que se dão
e escorre a vida pelos dedos
até à areia negra da noite.
Muito lentamente!

Morre o ensaio-trapézio
que de tanto pular,
por hoje se tropeçou e arruinou.
Mas o chão recebe-te, sempre acolhedor,
sempre frio, sempre parasita de alteridade.
É a queda que te faz sentir!
É o tombo que te acorda da morte em vida!

Morre o vigia da noite.
Tinha a lua por segurança
em todas as noites de Verão.
Hoje não brilhou, hoje não te abrigou.

Deitas-te, (en)cerras os olhos
e esqueces de onde vens
para onde vais…
Aqui... tão-somente aqui!

Morre o artista-arredio
eleva-se a sua obra!

(Troyka Manuel)


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Enough blindness...

As minhas pequenas vitórias ocorrem diariamente, em frente aos meus olhos. 
Tantas vezes cego; tantas vezes desfocado...


terça-feira, 27 de agosto de 2013

"Todos os dias..."

Estamos em dívida para com a sensatez...


Mensagem de boas-vindas ao meu BLOG



PÓ DE ESTRELAS



Matiza-se o meu olhar
com pó de estrelas cintilantes.
Quais braços que acolhem,
estendidos, húmidos,
dispersos...
mas que sempre brilham 
e se impregnam de vida...
(Troyka Manuel)