O meu Blog

O Blog "Verba Volant, Scripta Manent" foi criado no âmbito de um exercício académico (Humanística Digital). Desde então, e por forma a dar alguma continuidade à experiência iniciada na blogosfera, mantém o objectivo de partilhar alguns textos pessoais (sob o habitual pseudónimo Troyka Manuel), bem como outros materiais literários de interesse pessoal.

Todos os comentários, sugestões ou críticas serão sempre bem-vindos!

Porque as palavras faladas voam... e a palavra poética, tantas vezes, fala por si... e permanece... sempre!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Tραγῳδία (Gr. Tragédia)

Cai a noite na sua severidade terrível,
a luz ausente, as sombras cavernais
inimigas do arquétipo.
São fachos de luz que se apagam
num trémito e pérfido acesso trágico.

Cai o fulgor,a sombra,
fundem-se o céu e o mar
numa irmandade incestuosa
e os limites (barreiras do palpável)
deixam de ser regulares e tangíveis.
Tudo estremece na noite escura.
Tudo é pardo, informe e medonho.

Só a luz-dia do devir
pode trazer a chama roubada,
eterna vítima do olhar, 
para sempre opaca em transparência. 

(Troyka Manuel)

3 comentários:

  1. A lembrar o terror medieval da "noite"... Que a luz do dia te "conquiste".

    ResponderEliminar
  2. Fernanda Cardoso


    "Só a luz-dia do devir
    pode manter a chama roubada,
    essa eterna vítima de ser
    para sempre opaca em transparência."

    Adorei ler-te meu amigo, que sempre consigas manter essa chama "ACESA"

    Beijinhos ***

    ResponderEliminar
  3. Adorei! Continue. É sempre um prazer ler os seus poemas! Beijos

    ResponderEliminar