O meu Blog

O Blog "Verba Volant, Scripta Manent" foi criado no âmbito de um exercício académico (Humanística Digital). Desde então, e por forma a dar alguma continuidade à experiência iniciada na blogosfera, mantém o objectivo de partilhar alguns textos pessoais (sob o habitual pseudónimo Troyka Manuel), bem como outros materiais literários de interesse pessoal.

Todos os comentários, sugestões ou críticas serão sempre bem-vindos!

Porque as palavras faladas voam... e a palavra poética, tantas vezes, fala por si... e permanece... sempre!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

[No fundo da alma]

No fundo da alma
há um verso que não se lê,
impróprio, sorumbático, envenenado.
Carrega em si a visão abrupta
do exterior, a melancolia
de sermos sós.

No fundo da alma
há um mar, uma tempestade
em que não se mergulha,
há um verso que não se lê.
(Toyka M.)

sábado, 28 de junho de 2014

Água

Era o cais da partida
a vida interrompida
a espera o dia que não passa
a funda lucidez
o barco que foi e nunca voltou.

(Troyka Manuel)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Encerramento

Conhecíamos os breves tormentos das pedras,
grandes tombos, viagens, inóspitos terrores.
Era como se os passos se dificultassem
e uma voz rouca trepidasse nas nossas gargantas.

Era uma fúria, uma névoa, uma taciturnidade
de ventos frustres que nos ensinavam a erguer a cabeça,
a olhar para a frente e em toda volta.
Com medo, mas com calma.

Como um pequeno barco de papel rasgado,
afundámos na água transparente.
(Devagar como quem entra na noite)

Desfez-se em mil pedaços
E tingiu de vermelho a água que passava.
Devagar como quem já entrou na noite
e fecha os olhos para poder ver...


(Troyka Manuel)